MUNIZ FREIRE E A REINVENÇÃO DO ESPIRITO SANTO

Segunda-feira da próxima semana, dia 15 de abril, será lançado no Palácio Anchieta o livro escrito pelo historiadora sobre a vida de Muniz Freire, que foi nosso governador por duas vezes de 1892 a 1896 e  de 1896 a 1900 . A obra faz parte da coleção Grande Nomes, editada pela ONG empresarial Espírito Santo em Ação., da qual sou o organizador. O lançamento é evento oficial do governo do estado através da Secretaria de Cultura e tem o apoio do Instituto Sincades, do Bandes e da Vale.

????????????

Em texto rico e vigoroso, bem ao estilo do grande historiador que é, Estilaque nos mostra com muita força como os grandes personagens também fazem a história, e que no Espírito Santo não foi diferente. Basta ver a vida do biografado, dotado de raro tino gerencial, grande líder, homem culto, jornalista dono de texto forte, grande positivista,  José de Mello Carvalho Muniz Freire nasceu na cidade de Vitória no dia 13 de julho de 1861 e morreu no Rio de Janeiro a 03 de abril de 1918, precocemente aos 57 anos de idade.

Em época de abundância pelo enorme ampliação do plantio do café, soube Muniz Freire pensar grande e transformar a capital, Vitória, em um centro comercial exportador, através da construção de, para a época, moderno sistema portuário, que foi ligado ao restante do território capixaba por extensa malha ferroviária. As ferrovias também nos ligaram aos estados do Rio de Janeiro e de Minas Gerais, nos tirando do isolamento histórico que tínhamos.  Em seus períodos de governo a Estrada de Ferro Leopoldina tornou-se realidade e iniciou-se a obra da Estrada de Ferro Vitória a Minas. Quase 400 anos depois de Vasco Fernandes Coutinho fundar o Espírito Santo, coube a Muniz estabelecer a integração capixaba a todo o território nacional.

Como muito registra Carlos Teixeira de Campos Junior no prefácio, Muniz Freire foi entre nós personagem central da moderna história estadual, sendo por isto intitulado por ele como arauto do futuro. Esteve na militância republicana, e nos pós 1889 foi líder político e homem público responsável pela gestão estadual e senador da república., além de outras funções que desempenhou em longa e brilhante trajetória politica.  Jornalista e advogado em Vitoria,  ele planejou e realizou ações que o fazem um marco na gestão publica de nosso estado. No fim da era da monarquia ele iniciou sua carreira politica elegendo-se vereador e presidente da Câmara de Vitória, deputado provincial em três legislaturas, deputado federal e, uma vez proclamada a republica constituinte. Além governador por dois períodos de quatro anos e senador por onze anos.

A importância de conhecermos e cultivarmos a obra do grande estadista que foi Muniz está em sabermos compreender o papel dos grandes articuladores do nosso processo de desenvolvimento. Como bem registra o trabalho, ele pensou até em construir praticamente uma nova capital, uma outra Vitória, mas moderna e muito renovada.  Foi planejado o Novo Arrabalde em 1896 por Saturnino de Brito. Foi o primeiro planejamento urbano de Vitória e o então presidente, como se chamava o governador na época,  queria multiplicar por seis a área ocupada da ilha, efetivando seu papel de centro econômico e politico do estado. Vislumbrava nossa capital como ponto de convergência das forças produtivas capixabas e um importante porto brasileiro a nos ligar com o mundo.

Em seus 57 anos de vida construiu uma carreira politica extraordinária , firmando-se como uma das lideranças politicas mais marcantes de toda a história politica do Espírito Santo. Foi por impulso seu e do grupo politica e intelectual que liderou que nosso estado abandonou a lerda sonolência, como a chama Estilaque herdada da era colonial.

Esta não foi a única vez que o Espirito Santo se reinventou, como muito bem vimos a nossa historia recente. Cada vez que precisamos de usar nossa capital de construção coletiva temos mostrado capacidade de dar resposta. Na crise do café dos anos 1960 foi assim sob a direção de nossas elites, em especial a de Christiano Dias Lopes Filho.  Nossos últimos governos também dão mostra de como a capacidade de liderar pode mudar o rumo da historia.

Estamos de fato, e constatamos isto ao ler a obra, diante da descrição magistral de como um homem, e também toda uma geração politica, puderam reinventar nosso estado, tirando-o do marasmo que marcava sua vida social e levando a um outro patamar. E uma bela história. É um trabalho rico que o leitor capixaba merece. E agradece.

Abaixo,  uma entrevista de Estilaque no programa Um dedo de prosa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s