NEGROS, EUROPEUS E INDÍGENAS.

Texto de apresentação dos três ensaios que buscam colaborar com o debate e a pesquisa em torno dos elementos que ajudam na formação da identidade: germânicos (Imigração Germânica e Identidade Capixaba), negros e indígena

Um assunto sempre polêmico é discutir os processos de identidade coletiva de uma sociedade determinada, qualquer que seja ela. No Brasil as discussões sobre identidade regional são sempre mescladas com uma certa competição interna entre as regiões e seus estilos de vida. Não quero contribuir para essa polêmica, e não me arriscarei a tentar traçar um perfil da identidade capixaba, até porque não tenho elementos para tal tarefa no momento.

Meu objetivo é muito mais modesto. Quero apenas trazer para a reflexão dos leitores, alguns elementos que construíram a vida social no Espírito Santo como a vivemos hoje, sobretudo a partir da contribuição dos vários grupos étnicos que aqui chegaram no nosso processo social-histórico. O texto que abre a série de artigos foi prefácio do livro Raízes da Imigração Alemã, de Helmar Rölke. Trabalho de profunda relevância na compreensão dos imigrantes, que junto aos italianos, foram os principais na povoação do Estado.

Os outros dois também serviram de fato como prefácio a obras publicadas na coleção Canãa do Arquivo Público do Espírito Santo, vinculado a Secretaria de Estado da Cultura, do qual sou titular há pouco mais de três anos. Juntos eles refletem elementos importantes da nossa formação.

Alias, quero mesmo é refletir sobre a contribuição das diferentes etnias e suas culturas, que vem compondo essa espécie de mosaico que nos faz capixabas. Que nos faz diferentes de outras regiões. Os indígenas, – os povos originários – os negros que aqui chegaram na condição de escravizados e os europeus, se amalgamaram de uma forma bem própria. Mesmo que mantendo hierarquizações sociais perversas, fundiram-se em sucessivas uniões.

Quanto aos europeus, a presença deles era majoritariamente do colonizador português nos primeiros três séculos de exploração. Foi somente no século XIX que recebemos forte imigração vinda sobretudo do norte da Itália, em região vinculada ao mundo austríaco, e também do universo social germânico. Os europeus que aqui chegaram, na verdade vieram de um universo na fronteira entre o mundo alemão e o mundo italiano para juntarem-se no território a indígenas e negros, além dos descendentes dos primeiros colonizadores portugueses. Outras nacionalidades como libaneses, austríacos, suíços, por exemplo, tanto aqui chegaram no século XIX. Mas foram italianos, alemães e pomeranos que deram o tom do processo.

Disponibilizarei a sequência de artigos no blog na ordem em que os escrevi, e na mesma ordem em que li os textos que os inspirou. Obviamente que não existe nada na sequência além da ordem da leitura e a escrita. Cada um dos povos deu sua importante contribuição na formação do conjunto capixaba.

O primeiro texto, que reflete sobre a Imigração Germânica a partir da obra de Helmar Rölker, levanta alguns dos elementos que tornaram possível a construção, ou do ponto de vista dos que imigraram, da manutenção de uma sociedade de camponeses. Fenômeno que certamente a ajuda a explicar porque os imigrantes mantiveram-se tão agarrados ao mundo rural no Espírito Santo, sobretudo ao mundo da cultura do café.

Durante um século vivemos esse ideal camponês de forma quase perfeita. E, ainda hoje, somos um estado muito vinculado a dimensão agrícola. Seguramente parte integrante de nossa identidade social. Mas, apenas um exemplo de como é possível tecer, a partir da herança história, a complexa teia de elementos que fazem os capixabas e o Espírito Santo serem como são.

livros
Os três livros que, como secretário de Cultura, tive o prazer e oportunidade de escrever os prefácios.

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s